Festa de Ibeijada

A Tenda Espírita Pai Mané de Aruanda em nome do seu dirigente Ivo de Carvalho vem agradecer a todos e todas que contribuíram e participaram da nossa festa de Ibeijada de 2018. Que as crianças sempre os protejam, que continuem nessa vibração de amor ao próximo, pois é “dando que se recebe” e essa festa foi elaborada com muito amor, carinho, dedicação e energia positiva. 

Salve as Crianças!

Salve Cosme e Damião!

Salve Ibeijada!

Para quem não esteve presente segue o vídeo do muito que foi.

Gratidão .

Anúncios

Amor puro – Puro amor

Sessão de ontem, 29/09/2018

Amor puro!

Como nossa gigante mãe Helenice diz, precisamos amar o amor. Mãezinha estamos nos esforçando, têm sido tempos difíceis mas o amor há de vencer. Caridade é uma soma de suprimentos físicos e espirituais, pois nem só de pão vive o homem, mas saco vazio não para em pé, a caridade física é igualmente necessária a espiritual. Aqui você é ouvido, acalentado, acarinhado, orientando a cerca das suas dificuldades, aqui não se faz o milagre do seu amor em 3 dias, do seu emprego garantido, da saúde imediatamente restabelecida. Aqui o milagre é do entendimento, da compreensão que Deus tem planos pra nós que fogem ao nosso controle, é apoio, é abraço, e força pra continuar em frente sem perder a fé. Obrigada Oxalá por me guiar até aqui. Sempre em meu coração Ivo Carvalho tia Helenice e todos os irmãos.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mabaça – Os gêmeos em nós

42532113_2158370697820231_7539153319567032320_n

Texto de Sid Soares

Esse é o mês das crianças dentro da Umbanda, se no 13 de maio sobe aos céus do país uma energia de liberdade e gratidão, hoje os terreiros e tendas são fontes de riso, alegria, da inocência e pureza que nos religa a Deus. São Cosme e São Damião nas imagens mais conhecidas e os santos Crispim e Crispiniano que são reverenciados no mundo todo e aqui mais ainda, onde há um santo para cada dor, para cada prece encerrando esse ciclo no dia 25 de Outubro. Não por acaso a Umbanda é sustentada por um triangulo de forças divinas que representam as três fases da vida humana, assim temos o Preto Velho, o Caboclo e por fim o Erê, e ser envolvido por este triangulo é ter a certeza de precisamos seja qual for a fase da vida termos a humildade e sabedoria, a vitalidade e firmeza com a serenidade, e a esperança e a fé.Os santos gêmeos católicos São Cosme e São Damião nasceram na Arábia, eram filhos de Teodata e curavam sem cobrar por isso através de remédios e de orações que faziam aos desenganados. Por esse motivo eram chamados de anárgiros (“ana”desprovido de ou que não aceita e “argiros” prata ou dinheiro). Tinham mais cinco irmãos que no Brasil são representados por Doum, Alabá, Crispim, Crispiniano e Talabi.

O culto aos santos veio para o Brasil trazido pelos portugueses que aqui se misturou ao culto africano aos gêmeos Ibeji na nação Ketu ou Nvuji na nação Angola ( que na Umbanda recebe o nome de Ibejada, linha que compreende espíritos que trabalham na faixa vibratória desse orixá) e se misturou ainda ao deuses gêmeos indígenas, Tamendonare e Aricoute que deram segundo a mitologia, origem aos povos Tupinambás e Temininós.

Nesse rearranjo brasileiro o próprio caruru feito para ofertar aos dois-dois tem origem indígena no alimento chamado caá-riru ou “erva de comer”, que era feito com bredo e que depois ganhou o quiabo pelos africanos.

Com essa mistura toda de crenças o que mais importa é o companheirismo e a alegria que anda tão escassa, que devem ser gêmeos em nós, assim como a fé e a esperança. Erê é uma palavra que significa brincar, e define o caminho entre nós e Orixá, o consciente e inconsciente, e na nossa jornada tão cheia de coisas, de mágoas e descaminhos vamos nos perdendo da brincadeira, dos companheiros, das amizades, dos irmãos.

A gente precisa se reencontrar ou aprender com o nosso gêmeo, que é aquele “eu” que sabia que por mais difícil que fosse, ia passar, que uma gargalhada resolve muita coisa, que uma brincadeira de roda pode curar, e que uma prece feita com esperança e inocência sempre é atendida! Tenha o nome que tiver, o que não dá pra desaprender é o bom e velho levantar depois de um tombo ou um joelho ralado, após uma topada numa pedra, ou o tão esquecido “ficar de bem” por que criança de verdade come doce, não mágoa!

“Filho de fé estava doente
Filho de fé estava chorando
Filho de fé viu Ibejada
Filho de fé já está cantando!”

Homenagem – A Voz da Resistência

Carlinhos de Xangô fez uma homenagem ao nosso Babalorixá Ivo de Carvalho durante o 5º Festival de Umbanda Louvor ao Pai Cury. O evento aconteceu no dia 09 de setembro, no clube São José em Magalhães Bastos – Rio de Janeiro.

 

Qual a ligação de Santo Antônio com Exu?

“Santo Antônio mandou

Santo Antônio é quem manda

Santo Antônio mandou

Exu Sete Estradas firma nossa banda”

Assim começa o ponto do Exu que comanda a Gira de Descarrego na nossa Tenda e no final pede licença… 

“Com licença de Ogum 

E de meu Santo Antônio 

Ele vem trabalhar”

Não é uma licença para chegar  e ficar, mas é para trabalhar e evoluir. Em uma escala hierárquica, Exu é a entidade mais perto dos humanos. Sim, na Umbanda Exu é entidade,  teve matéria encarnada, já no Candomblé ele é um Orixá. Quando se diz que é a mais perto dos humanos, talvez explique o fato de sua ligação com Santo Antônio, o “santo casamenteiro” como se apresenta popularmente o santo.

Se, por um lado,  Exu é a energia de ligação do mundo dos humanos com as esferas espirituais, é a entidade que realiza a limpeza mais densa, aquela que resolve os problemas “pesados”, a que constrói pontes, estradas, vias de passagens simbólicas amenizando as mazelas da humanidade; por outro,  Santo Antônio também está muito ligado aos humanos, um dos santos mais populares da Igreja Católica, quando em vida, um excelente orador, deixou todos os bens materiais para se dedicar aos mais necessitados, não se conformava com a desigualdade que existia, o que pode também ser atribuída a sua ligação com Exu. Ambos com o poder da palavra que encanta, ensina, ajuda, fortalece, ameniza, transfere, abre caminhos, (principalmente os relacionados as questões amorosas). Mas não é só a energia da abertura e do amor que essas duas figuras representam; no campo simbólico, elas cumprem um papel fundamental o de religar os seus adeptos ao seu eu interior, a sua divindade pessoal e a Zambi, Deus, como preferirem. Tanto Exu como Santo Antônio constroem pontes, saídas ligadas à energia amorosa, que carece muito nos dias atuais. Os dois entendem as aflições, os conflitos e as lutas humanas. E, com sua palavra mais próxima, podem aconselhar, afagar, curar. Embora seja uma das entidades mais brincalhona dentro dos Terreiros de Umbanda, Exu é sério no seu trabalho, trabalha em conjunto com outras entidades e com os Orixás, no caso Ogum que o concede a permissão de chegar e prestar a caridade. Exu NÃO é Lucifér, não é Diabo, essa figura do anjo caído não existe nas religiões de matrizes africana, assim como Santo Antônio também não traz essa ligação.

Enquanto a Igreja Católica, no mês de junho, saúda os Santos Antônio,  João e Pedro, as casas, as tendas e os terreiros de Umbanda saúdam Exú e Xangô. 

Exu e Santo Antônio são: fé,  poder, equilíbrio,  trabalho, esperança, encanto, caridade, bondade, solidariedade, sensibilidade, reciprocidade  e amor. 

Laroyê,

Exu, é Mojibá!

Salve Santo Antônio!

Nossa homenagem e festa para Exu será no próximo sábado dia 16 de junho. Venham comer o pãozinho de santo Antônio e pular a fogueira!

Segue o vídeo do ponto cantado pelo seu compositor e nosso dirigente Ivo de Carvalho.

 

 

Texto: Sylvia Helena de Carvalho Arcuri

Umbanda com som tecno

Federico Puppi entra no palco ao som de Nessum Dorma, cantado pelo Tenor Luciano Pavarotti. O clima está dado e feito. Já sabíamos que seria um ESPETÁCULO de primeira linha. O italiano mais brasileiro que conheço, passeia pelos ritmos e sons brasileiros com tamanha maestria, que sensações invadem nossos espíritos, ora sentimos estar à beira do mar, ora dentro da floresta desfrutando de todos os deleites que a natureza desse país proporciona. Escutamos samba, embolada, xaxado, xote, chorinho, maracatu em sintonia e misturado com a música clássica, já que quem dava as ordens era o violoncelo, o artista principal em cena. Não bastasse tudo isso, Puppi convidou Laila Garin que cantou, lindamente Cazuza e Milton Nascimento, trazendo, dessa vez para o palco a presença de Marielle Franco, sempre presente. Para platéia,em êxtase, o show podia terminar aí, nesse momento, mas que nada, ainda fomos brindados com mais surpresas. O instrumentista Suave, que tocou um instrumento parecido com um berrante, encheu o palco com a cor e os espíritos dos nossos ancestrais indígenas, a floresta gritava todos os seus seres mágicos, Uirapuru, vitoria régia, Curupira, Saci, Boto cor de rosa, todos os seres encantados que habitam esse locus. Para terminar, posso dizer, o clímax do espetáculo, surgiu a ancestralidade africana encarnada no ponto de Ivo Carvalho , Clareou, que foi recepcionado por Federico e seu violoncelo desde a platéia ao palco. Não podia ter sido diferente, Estrela do Oriente espalhou sua luz divina por todos que ali se encontravam, por todos os cantos, até os mais escondidos do teatro, da bilheteria até a coxia a energia se fez presente, platéia emocionada com tamanha entrega de duas almas altruístas, Federico e Ivo, cantou o ponto de Umbanda com fervor. Ficamos e ainda estamos degustando cada nota emitida pelo violoncelo do artista e só podemos dizer gratidão, gratidão, gratidão… Que sua luz siga brilhando, sucesso sempre. E ao meu pai, Ivo, só me resta pedir, humildemente, a sua bênção.

Ficam as palavras do Federico que estão no encarte do CD Marinheiro de terra firme, “Obrigado, Ivo de Carvalho. Sua forja e sua generosidade são um norte”

Este slideshow necessita de JavaScript.

Fotos: Tony Alves

Nossa homenagem a Ibejada

Este slideshow necessita de JavaScript.

Mais um ano de entrega. Agradecemos todos os irmãos que colaboraram para que a festa fosse, mais uma vez, realizada com sucesso. Salves as crianças! Salve Cosme e Damião!

 

Salve Cosme e Damião

Hoje é dia de Cosme e Damião, ficou definido, na ALERJ, como patrimônio imaterial da cidade do Rio de Janeiro, uma conquista muito emblemática nesse momento, principalmente para as religiões de matrizes africana.

Como diria meu amigo Wallace Lopez – Salve as Criança!

Eu digo Salvem as Crianças do/da:

Extermínio
Abandono
Estupro
Abuso
Desprespeito
Trabalho escravo
Desmando 
Adulto 
Consumo
Violência verbal, emocional e física dentro e fora de casa
Pobreza
Opressão
Dor
Baixa autoestima
Violação dos seus direitos
Drogas
DST,s

Nenhuma criança merece passar por isso. Que nossas crianças espirituais, Tonico, Mariazinha, Pedrinho, Tiãozinho, Jussara, Joaninha, possam de onde estiverem, proteger e guardar nossas crianças terrenas.

Salve Cosme e Damião
Salve toda Ibeijada

Salvem as crianças!

 

Festa de Ogum e Prêmio Ogum de Malê

Mais um ano estivemos juntos para homenagear Ogum. Além da linda sessão, concedemos o Prêmio Ogum de Malê para Marcelo Tota. Trabalhamos com fé e dedicação para que tudo estivesse em ordem. Vejam as fotos! 

Saravá Ogum!

Saravá Umbanda!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Sarau da Umbanda

No domingo passado, estivemos no 2º Sarau da Umbanda. Nosso Babalorixá, Ivo de Carvalho e o Ogã José Carlos de Oxóssi,  receberam uma homenagem pelo conjunto de sua obra, com destaque para o seu ponto, Brado de Xangô que é conhecido por todo Brasil. Gratidão aos organizadores do evento que contou com a presença de Tião Casemiro, Bia Nascimentos e outros. 

Foi uma tarde muito agradável,  podemos rever  e estar amigos e pessoas que divulgam e professam a nossa fé.

O Sarau tem como finalidade resgatar pontos antigos e apresentar as novas composições.

 

Seguem as fotos.

Este slideshow necessita de JavaScript.