Arruda

É umas das ervas mais poderosas para combater inveja e mau-olhado, o famoso olho-gordo. A arruda já era conhecida e usada na Grécia Antiga e Roma. Foi Popularizada no Brasil pelos africanos na época na colonização, que a introduziram no herbanário brasileiro. Quando colocada em um ambiente, além de proteger ela emite vibrações de prosperidade e entusiasmo.
Podemos ter sempre um galho de arruda junto ao corpo para reter as energias negativas. É excelente na primeira fase do benzimento, que tem como característica a dispersão de fluídos enfermiços, etapa que antecede a fixação dos fluídos curativos. Em Magia de Redenção, Ramatís instrui-nos que a arruda não é uma planta miraculosa e capaz de livrar o homem das projeções fluídicas inferiores, mas ela presta-lhe o inestimável serviço de assinalar, no ambiente físico, a natureza boa ou má dos eflúvios ou fluidos do mundo oculto. Quando a arruda se mostra vigorosa, ereta e viçosa na sua cor verde-azulada, exsudando o seu odor forte e peculiar, ela desabrocha num ambiente impregnado de bons fluidos; e quando emurchecida e amarelecida, então sofre o bombardeio dos eflúvios e emanações perniciosas do ambiente! Afora qualquer crítica ou análise científica, a arruda é o mais eficiente e sensível barômetro vegetal.
A arruda pode ser usada em banhos para descarga energética, mas devemos ter o cuidado para não ficarmos completamente sem tônus vital, principalmente nos momentos que antecedem o trabalho mediúnico. É interessante que logo após o banho com arruda, seja tomado um banho com uma folha calmante e fixadora de fluídos, como o capim-limão ou a pitangueira, ervas de Oxalá, ou ainda o manjericão, que energiza e vitaliza a aura. Texto publicado na página do facebook, Pérolas de Ramatís

– do livro ENCANTOS DE UMBANDA.

 

Anúncios