Brandura e violência


Hoje chegando em casa, depois de um tenso vivido na cidade do Rio de Janeiro.,  pensando que devia publicar alguma coisa aqui no blog para amenizar o desconforto. Abro, aleatoriamente, uma página do livro Sol nas Almas ditado pelo espírito André Luis para Waldo Vieira e cai a seguinte mensagem.  Segue apenas um fragmento.

Brandura e violência.

Há quem julgue seja a brandura ausência de firmeza no caráter, quando a realidade não é assim.
Serenidade é entendimento e visão.
Água branda vence a pedra rija, por outro lado, o cais parado e silencioso contém o oceano que se move, terrível, na maré alta.
Em contraposição, temos a violência e a precipitação que suscitam complicações e agravam problemas.
O reto da história dos impulsos, muitas vezes, é narrado por seus próprios personagens, mas penitenciárias onde se recolhem os náufragos que não desaparecem nos sinistros da delinquência.

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s